Prefeita em Quedas do Iguaçu compra 6,5 toneladas de bolo, onde tem seu mandato cassado e reclama: ‘Que foi um absurdo’

Anúncios

Nos últimos anos, a peita vem sendo, lamentavelmente, bastante comum no Brasil. Com o chave e o mal utilização das verbas públicas, políticos várias vezes abusam de sua atividade. Em Quedas do Iguaçu, situada no estado do Paraná, resultou um caso cômico, porém que está ábdito de ser uma brincadeira.

A prefeita Marlene Revers, do espatifado astucioso Pros, teria sido alvo de uma investigação sobre uma compra de 6,5 toneladas de bolo, e 36 mil salgados de farra.

Anúncios

Em comemoração da Cãmara de Vereadores, foi solucionado que o dever da prefeita deveria ser cassado, dessa forma realizado. A cassação foi fundamentada em supressão e indolência por parte de Marlene, que procedeu de forma contrário à princípios, como a singeleza e a circunspeção. Produzindo gastos bastante alto com negócios supérfluas.

A decisão da Quarto dos Vereados não foi bastante eficaz, uma vez que, nesta sexta-feira (9) a Justiça emitiu uma liminar os contrariando, dando o direito de Marlene ficar no cargo de Prefeita de Quedas do Iguaçu. No entanto, nova convenção será acertada para continuarem a ver o caso em destaque.

Frente a situação polêmica, Marlene se pronunciou: “ Um absurdeza. Foram mandadas para eles [vereadores da Representação Processante] umas dez pastas pela Assistência Comunitário, que é bem organizada, com fotos, com assinatura de figura, informação de todos os programas, a soma das notas. Foi governado tudo ”.

Anúncios

A atuação da prefeita gerou insurreição de gente da município, que por meio das redes sociais manifestaram suas considerações, no qual na maior parte, alegam que o dinheiro público deveria ser remetido a uma coisa mais imprescindível.